sábado, 27 de setembro de 2014

Bandeiras Históricas em Mogi das Cruzes-SP

          Mogi das Cruzes guarda duas preciosidades do Período Colonial e Imperial do Brasil, dois estandartes um representado a Casa Real Portuguesa (Bandeira de D. João V) e a primeira Bandeira do Império do Brasil pós Independência utilizada nos três primeiros meses de setembro a dezembro de 1822. O surgimento inicial das bandeiras em nossa cidade ainda é um mistério, cogitamos que o estandarte da Família Real Portuguesa tenha sido adquirido antes de 1822, pois o mesmo era utilizado pela Câmara Municipal em sessões solenes. Já a primeira bandeira do Império do Brasil possivelmente foi adquirida na década de 1820, pois a qualidade do material e sua deterioração levam a tal data.


Sala das Bandeiras
Museu Histórico e Pedagógico Visconde de Mauá - Mogi das Cruzes


Bandeira da Casa Real Portuguesa



(Bandeira El-Rei Dom João V (1707-1750) Dom José (1750-1777), El-Rei Dom Pedro III (1777-1786) e Rainha Dona Maria I (1777-1816)
- As 5 quinas simbolizam os 5 reis mouros que D. Afonso Henriques venceu na batalha de Ourique.
- Os pontos dentro das quinas representam as 5 chagas de Cristo. Diz-se que na batalha de Ourique, Jesus Cristo crucificado apareceu a D. Afonso Henriques, e disse: "Com este sinal, vencerás!''. Contando as chagas e duplicando por dois as chagas da quina do meio, perfaz-se a soma de 30, representando os 30 dinheiros que Judas recebeu por ter traído Cristo.
- Os 7 castelos simbolizam as localidades fortificadas que D. Afonso Henriques conquistou aos Mouros.
- Ramos de Algodão e Tabaco.
- Coroa Real com um barrete forrado em cor vermelha
- Escudo terminado em bico contra curvado, no formato dito francês.
- O vermelho simboliza a coragem e o sangue dos Portugueses mortos em combate.




Estandarte Imperial



 - O retângulo verde está vinculado às cores da Casa de Bragança em Portugal.
- Em losango em cor Amarela vincula a Casa de Habsburgo. (Imperatriz Leopoldina)
- Dentro do Escudete em circulo 19 estrelas representando as 19 províncias do Brasil (Cisplatina, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Grão-Pará, Espirito Santo, Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão)
- Ramos de Café e Tabaco remetendo ao cultivo do Nacional.
- A Cruz de Cristo ao centro que nos lembra Portugal e a Ordem dos Cavaleiro de Nosso Senhor Jesus Cristo, nome que, em Portugal, tomou a Ordem dos Cavaleiros Templários.
-A Esfera Armilar é o símbolo do poder em Portugal. É uma espera formada por armilas que são círculos metálicos. Simbolizam o mundo descoberto por Portugal.
-A Coroa acima do Brasão de Armas está a Coroa Real Vermelha (diferente da Coroa Imperial em Cor Verde)
-A Cruz acima da Coroa significa que Deus está acima do Imperador.


"Havendo o Reino do Brasil, de quem sou Regente e Perpétuo Defensor, declarado sua Emancipação Política, entrando a occupar na Grande Família das Nações o lugar que justamente lhe compete como Nação Grande, Livre e Independente; sendo por isso indispensável que elle tenha hum Escudo Real D’Armas, que não só o distingão das Armas de Portugal e Algarves até agora reunidas, mas que sejão características deste rico e vasto continente; e Desejando Eu que se conservem as Armas que a este Reino forão dadas pelo Senhor Rei Dom João VI, Meo Augusto Pay, na Carta de Ley de 13 de Maio de 1816 e ao mesmo tempo Rememorar o primeiro Nome que lhe foi imposto no seu feliz Descobrimento e Honrar as dezenove Províncias comprehendidas entre os Grandes Rios, que são seus limites naturaes e lhe formão sua integridade que Eu Jurei sustentar: Hey por bem, e com o Parecer de Meo Conselho d’Estado, Determinar o seguinte:- Será d’ora em diante o Escudo deste Reino do Brasil, em campo verde huma esphera Armilar de ouro atravessada por uma Cruz da Ordem de Christo, sendo circulada a mesma Esphera de dezenove Estrelas de prata em uma orla azul; e firmada a Coroa Real Diamantina sobre o Escudo, cujos lados serão abraçados por dois ramos das plantas de Caffé e Tabaco, como Emblemas de sua riqueza comercial, representados na sua própria cor e ligados na sua parte inferior pelo Laço da Nação. A Bandeira Nacional será composta de hum paralellogramo verde e nelle inscripto hum quadrilátero rhomboidal côr de ouro, ficando no centro deste Escudo das Armas do Reino do Brasil. – José Bonifácio de Andrada e Silva, do Meo Conselho de Estado e do Conselho de Sua Magestade Fidelíssima o Senhor Rey Dom João Sexto e Meo Augusto Pay, e Meo Ministro e Secretário de Estados de Negócios do Reino e Estrangeiros, o tenham assim entendido e faça executar com os Despachos necessários. – Paço em 18 de setembro de 1822."
  
"Havendo sido proclamada com a maior espontaneidade dos povos a Independência política do Brasil, e a sua elevação à cathegoria de Império pela minha solemne Acclamação, Sagração e Coroação, como seu Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo: Hei por bem Ordenar que a Corôa Real que se acha sobreposta no Escudo d’Armas, estabelecido pelo meu imeperial Decreto de 18 de Setembro do corrente anno, seja substituída pela Corôa Imperial, que lhe compete, a fim de corresponder ao gráo sublime e glorioso em que se acha constituído este rico e vasto continente. – Paço, 1º de Dezembro de 1822, 1º da Independência e do Império. Ass.) – O Imperador. – José Bonifácio de Andrada e Silva."
Bandeira do Reino do Brasil (setembro a dezembro de 1822)

quarta-feira, 26 de março de 2014

"50 anos do Golpe Militar: Mogi das Cruzes sob o olhar do DEOPS"

É com satisfação que apresento a Mogi das Cruzes a Exposição "50 anos do Golpe Militar: Mogi das Cruzes sob o olhar do DEOPS". Confiram a programação.



sábado, 15 de março de 2014

Série “Caminhos da Independência” - Estrada Real em Mogi das Cruzes: Parte I

Iniciamos hoje a série “Caminhos da Independência”, remontando através de imagens o Caminho Imperial em todo Alto Tietê e a passagem de Dom Pedro I em 1822. Confiram a parte I: